Assassin’s Creed Origins: É o que prometeram?

363
É com um IMENSO prazer que nós do Mural Gamer dizemos, SIM!
Admito que perdi o folego quando os minutos no contador da PSN acabaram e o jogo iniciou com o menu mais épico que eu já vi, a escolha de cores entre dourado e preto criou algo extremamente surreal e misturados com aquela atmosfera do Animus ficou perfeito, e enfim depois de 4 meses de espera o jogo finalmente saiu, e você confere as nossas impressões agora mesmo.
Primeiramente queremos parabenizar a Ubisoft pelo excelente trabalho de otimização, o jogo está lindo e fluido, exatamente da mesma maneira que nos foi apresentado na E3 deste ano (2017), lá, vimos gráficos absurdos rodando diretamente do poderoso Xbox one X (Até aquela data conhecido como Project Scorpio) com os seus 6 Teraflops de processamento na GPU, obviamente o jogo seria uma maravilha nesse console, mas a comunidade temia que nas versões base dos consoles da geração atual( Playstation 4 e Xbox One e One S) o jogo ficaria “capado”, com menos detalhes e efeitos, porém pasmem, o jogo nas versões base estão tão lindos quanto em um PC High-end (Assista o vídeo comparativo para tirar as suas dúvidas e tirar as suas próprias conclusões).
“Imagens capturadas por Candyland”
Requisitos recomendados
OS: Windows 7 SP1, Windows 8.1, Windows 10 (64-bit versions only)
CPU: Intel Core i7- 3770 @ 3.5 GHz ou  AMD FX-8350 @ 4.0 GHz
GPU: NVIDIA GeForce GTX 760 ou AMD R9 280X (3GB VRAM com Shader Model 5.0 ou superior)
RAM: 8GB
Resolução: 1080p
Gráficos: High
“Preço estimado desse Hardware: $2.500,00, fora a fonte, gabinete e placa mãe, ressaltando o custo benefício de um console de $1.000,00 atualmente.”
Vendo isso, podemos mais uma vez afirmar o fato de que atual geração de consoles não está ultrapassada e não precisa urgentemente ser substituída por uma mais potente, existe toda uma questão de otimização de Software onde se a Gamedev quiser pode sim fazer um jogo rodar em determinado console (Doom rodando no Nintendo Switch por em uma boa qualidade, por exemplo), os consoles premium como o PS4pro e o Xbox one X são para aqueles que querem ainda mais gráficos e estabilidade sem precisar gastar muito com um PC High-end. Estes são os requisitos para rodar o jogo em 1080p com estabilidade, 3GB de VRAM por exemplo, é uma coisa que não cabe aos consoles da geração atual (Não nas suas versões base) e mesmo assim como você pode ver no vídeo, a riqueza de detalhes em todas as versões ficou maravilhosa, texturas no High, os raios crepusculares, efeitos de sol, resolução da água, TUDO está em sincronia com a versão no PC. Usando a engine AnvilNext 2.0 (Versão melhorada da antiga Anvil vista no Unity) conseguiram fazer um jogo espetacular, que encheu os olhos na E3 e não me decepcionou  nem um pouco até agora em Gameplay, entretanto existem sim alguns Bugs… Por exemplo:
  • Você pode não conseguir descer do camelo, te obrigando assim a dar um reload;
  • Personagens voando( Bem raro mas acontece.);
  • Mortes repentinas (Aconteceu apenas uma vez em horas de Gameplay.);

Nada que estrague de fato a sua Gameplay ou muito menos deixe o jogo ruim, porém esperamos que em breve esses bugs sejam corrigidos. Enfim, nossos parabéns a equipe de desenvolvedores da Ubisoft por nos entregar uma experiência sólida de um Assassin’s Creed como antigamente, de um tempo onde existia uma carinho muito grande pela franquia e levava um certo tempo de um jogo para o outro pois nos últimos anos a franquia virou algo “anual” e acabou perdendo a sua qualidade. Existe um hiato de dois anos (2015/2017) entre  Assassin’s Creed Syndicate e Origins, e ao que parece nesses dois anos a Ubsoft se dedicou em inovar porém mantendo essência histórica. Assassin’s Creed Origins até o presente momento parece trazer aquela carga cultural aliada a novas mecânicas de jogo, visuais incríveis de tirar o fôlego em qualquer plataforma e em breve traremos uma análise completa aqui, no Mural Gamer.