Para fazer análise do Atari Flashback 9, da TecToy, é preciso voltar no tempo. Não importa se você é um dinossauro dos games ou se é um cara novão, recém barbado. Todos sabemos exatamente o que representou o Atari para a indústria dos games e para todo o mundo.

Quem VIVEU esse período (e eu sou um deles – que privilégio!) lembra do cheiro, dos sons dos chiados provocados pelo sinal da caixinha RF, das cores da TV de tubo… experiências sensoriais dos anos 80. Aquele climão “Stranger Things” mesmo (mas, em nosso caso, em terras tupiniquins – com Belinas, Fuscas, Brasílias e Variants andando pelas ruas).

Atari era aparelho que se fundia com as ideias de uma época em que a tecnologia dava grandes saltos, com o Homem gabando-se de já ter ido à Lua. O analógico começava a contar seus dias e lá na frente se desenhava um horizonte digital.

Atari Flashback 9 – Sensações e experiências

É justamente um pouco dessas experiências que queremos transmitir com esta análise do “Atari Flashback 9 Gold”, o mais recente “mini-console” da Atari lançado no Brasil pela Tectoy, com hardware da AtGames… ele consegue resgatar um pouco dessa experiência, reproduzindo nas TVs novas jogos clássicos nos quais usamos uma (saudosa) alavanca e um botão vermelho para dar os comandos.

Atari Flashback 9 Gold, da TecToy

Você pode estar se perguntando: “TecToy e Atari eu conheço, mas que raios é essa AtGames?”. A AtGames é uma empresa que fabrica consoles que “imitam” hardwares originais e têm licença para usar grandes nomes da indústria. A galera aqui do Brasil conhece bem os modernos SEGA Mega Drive e SEGA Master System – todos eles com hardware “genérico” da AtGames e selo da TecToy.

Você se lembra quando o “novo” Mega foi lançado, em 2017, não é? Ele foi rodeado por polêmicas por ter um hardware genérico que não “imitava” muito bem os sons, entre outros “defeitinhos”. A insatisfação e os xingos contra a TecToy só foram minimizados quando uma atualização do firmware foi feita… mesmo assim tem uma galera que continua “P da vida”.

Para encurtar a conversa, a AtGames produz videogames que emulam muito bem os jogos e é amada por uns, odiada por outros. No Brasil, esses modelos recebem o “carimbo” da TecToy, detentora dos direitos das marcas e responsável pelo lançamento e distribuição.

Um emulador competente do Atari

Todos os Atari Flashback são, como dito, bons emuladores. Em relação ao “Flashback 9 Gold”, achei tudo bem competente e a resposta dos comandos impressionou. Importante dizer que é necessário ser jogado em uma TV adequada, que tem um “modo jogo” decente. Em uma primeira vez, joguei o console em uma TV Phillips 4K antiga, daquelas primeiras que saíram com essa tecnologia (4K), e o resultado foi horrível. Já na Samsumg moderna, tudo foi diferente.

Controles wireless

E quando eu digo “excelente resposta dos comandos” me refiro aos competentes controles wireless (sem fio). Achei que eles comprometeriam a resposta das ações pelo fato ser serem “wireless”, trazendo o infame input lag. Ledo engano! Os controles são muito bons e o joystick do “Player 1” tem os principais botões que possibilitam ao jogador comandar tudo à longa distância (dá para trocar jogo, resetar, mudar a dificuldade, etc).

O único ponto negativo, se podemos falar assim, é a compatibilidade capenga dos paddles originais (os disquinhos) do Atari antigão no Flashback 9. Eles ficaram muito sensíveis no novo console, a ponto de frustrar o jogador (um simples toque nos disquinhos movimenta de forma abrupta o “boneco” na tela)… 🙁

120 jogos de Atari no Flashback… e além!

O Atari Flashback conta com mais de 100 jogos instalados na memória, o que é muito legal. E dá pra turbinar isso, rodando títulos diretamente do cartão SD. O mini-console tem uma entrada lateral de cartão e ali é a porta da alegria… hehe. Inclusive é por meio dela que você pode atualizar o console. Uma vez atualizado, passa a ler as ROMs dos jogos do cartão.

Títulos como “Air Raiders”, “Smurf”, “Snoopy Barão Vermelho” e tantos outros que não vêm instalados podem ser jogados perfeitamente. Quer coisa mais legal?

Independentemente da sua idade e da sua experiência nos videogames, acho que vale a pena jogar o Atari, um videogame atemporal e que sempre terá seu lugar ao sol. Seja criança, adulto, idoso, não interessa. O console é diversão certa e a versão “flashback” é a chance de jogar tudo de maneira facilitada, em Tvs modernas e (infelizmente rs.) sem chiados. E, se você é um dinossauros dos games, tem aí um prato cheio de nostalgia…

Fiz um vídeo mostrando tudo isso que falei aí em cima… o link está AQUI.

E aí, já jogou Atari? Conhece algum modelo Flashback? Conte-nos sua experiência aí embaixo, nos comentários do Mural Gamer.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui