5 jogos de MS-DOS que ainda valem a pena

168

Antes de falar dos “5 jogos de MS-DOS que ainda valem a pena”, é preciso dizer que ele (o MS-DOS) foi um sistema operacional brilhante e, apesar das limitações dos computadores da época, recebeu excelentes jogos. A biblioteca é bem grande e a lista que preparei tem jogos que me divertiram bastante – e foram culpados pelas horas e horas que passei na frente do computador.

Antes do Windows…

Até 1995, os computadores não tinham Windows. O sistema operacional mais popular era o DOS. Os PCs tinham entrada para disquetes e os monitores eram daqueles CRT (de tubo) – os monitores de tela plana estavam ainda bem longe de serem inventados… Pouca gente sabe: o DOS foi comprado pela Microsoft e, por isso, o nome ficou MS-DOS (MS de Microsoft). Eram as iniciais, em inglês, de “Microsoft Disk Operating System”.

Hoje, quando você quer entrar em uma pasta e ver os arquivos guardados lá dentro, você vai com o mouse em cima dela, dá dois cliques e já era. No sistema DOS era bem diferente: você tinha que digitar no teclado o comando “cd” e escrever o nome da pasta para abri-la. Aí você precisava digitar o comando “dir” para ver os arquivos. E por aí vai… era tudo na base dos comandos de teclado.

Os programas eram instalados via disquete – não havia drives de cd. Internet, nem pensar. Esse papo de “baixar” arquivos nem passava pela nossa cabeça.

MS-DOS: jogos e programas em disquetes

Antes de falar dos “5 jogos de MS-DOS que ainda valem a pena”, é interessante contar um detalhe… Os jogos geralmente vinham em vários disquetes, devidamente enumerados. Você abria o primeiro disquete e tinha ali um arquivo executável (.exe) “install”, “setup” ou algo do tipo. Ao abrir o arquivo, dava início o processo de instalação. O computador fazia uns barulhos muitos loucos para fazer a leitura. Ao terminar o primeiro disquete o computador pedia para inserir o segundo. E assim por diante.

No final da vida do DOS, os jogos já estavam bem grandes e não era raro as pessoas utilizarem mais de 10 disquetes para instalar um único game! E também não era raro você passar raiva no meio do procedimento… Dava pau aos 95% do último disquete. (rs).

Peças de museu…

A coisa seguiu assim até o surgimento do Windows e do cd, que substituiu de vez o uso dos disquetes. Mais ou menos nessa época veio a internet discada também… Hoje os disquetes viraram peças de museu e os computadores que ainda têm entrada para eles estão guardados nos porões das casas ou já foram pro ferro velho há muito tempo. Alguns poucos colecionadores ainda os mantém funcionando, mais pelo fator nostalgia mesmo.

Os computadores devidamente preparados para rodar jogos geralmente tinham placas de som bem competentes. A “Soundblaster” era um ícone da época… o som dos games saíam bonitos naquelas caixinhas de som (coisas que praticamente nem se usam mais).

DosBox: a salvação de quem gosta de jogos de DOS

Há muito tempo os computadores deixaram de utilizar DOS, porém temos um emulador bem competente para as máquinas modernas: o DosBox. Nele é possível rodar todos os games antigos feitos para o sistema DOS, inclusive possibilitando o uso de joysticks (até mesmo manches, volantes, etc.), apesar da maioria dos títulos necessitarem o uso apenas do teclado e/ou mouse.

Sites de abandonware: o cemitério dos jogos de DOS

Muitos jogos e programas foram sendo esquecidos com o tempo. Alguns ficaram no passado porque vieram sucessores criados com tecnologia mais avançada, outros simplesmente envelheceram mal. Muitos games de DOS podem ser encontrados em sites especializados de “abandonware”, que são verdadeiros “cemitérios” de jogos velhos. Há verdadeiras pérolas ali, tanto que muitos títulos foram “resgatados” e estão sendo novamente comercializados em sites especializados em jogos antigos. A febre retrô tirou de circulação muitos jogos que antes estavam totalmente free nesses sites, porém, sempre é possível achar um ou outro por aí. Recomendo os seguintes de abandonware: MyAbandonware, AbandonwareDos e DosGames.com.

Chega de papo. Vamos à lista dos 5 jogos

Ranqueei a lista do menos importante para o mais importante. Baseada em minha experiência (eu, Felipe, do Canal Jogo ao Vivo). Lembrando que não levei em conta nenhum critério a não ser os jogos que considero que ainda valem a pena jogar hoje em dia. São títulos que me diverti muito na época e com os quais passei horas na frente do computador. Vamos lá.

5. Stunts

Em algum período entre 1992 e 1994, joguei Stunts, o primeiro jogo de corrida que instalei no computador. O ronco dos carros nas caixinhas de som era bem legal e não tem como esquecer o modo que possibilitava construir pistas. Os inéditos gráficos poligonais em 3D eram de cair o queixo. O game, lançado em 1990, deslumbrava e também podia causar um certo estranhamento no jogador, no começo, por causa dos efeitos 3D. Depois tudo normalizava. Na parte de construir pistas, lembro que gostava de colocar loopings e pontes (que permitiam grandes saltos) depois das retas de aceleração. Dava pra correr contra o relógio ou contra carros controlados pelo computador. Ah! O modo replay também é um show à parte. Stunts foi desenvolvido pela DSI e publicado pela Brøderbund e Mindscape.

4. Nascar Racing

Esse tinha a veia de simulador mesmo, ao contrário de outros jogos estilo arcade que a gente jogava na época. A Nascar é conhecida pelas pistais ovais, mas uma delas não era: Watkins Glen. Eu tinha verdadeiro pavor de pilotar nela. Os acidentes eram bem reais e os gráficos eram muito bons – lembro que tinha que diminuir a qualidade para meu 486 conseguir rodá-los em um bom frame rate. Os efeitos dos carros derrapando e batendo no muro com força eram incríveis. Depois das cacetadas eu sempre colocava no replay pra ver se a barbeiragem tinha sido minha ou de algum oponente controlado pela máquina (sempre era minha, claro hehehe). Nascar Racing é do ano de 1994 e foi desenvolvido pela Papyrus. Cheguei a usar o controle Quick Shot AeroAce 5 nesse game, e depois um Thrust Master com pedaleira e câmbio manual. Inesquecível…

3. Hardball 5

Simuladores de esportes “não-convencionais” não fazem muito o gosto da galera por aqui. Esse aqui, porém, merece atenção. Foi um dos principais títulos de beisebol lançados para o sistema DOS. Um dos destaques é a narração dos lances feita por Al Michaels, famoso narrador esportivo norte-americano (que atualmente trabalha na NBC Sports). Os sons das rebatidas e da torcida, e todo o clima “dentro do estádio” que o jogo proporcionava chamam a atenção. Os times contavam com jogadores reais no lineup e o modo temporada (season) trazia todas as estatísticas! Um prato cheio para os fãs. Nem sei quantas horas passei jogando isso aqui… e foi justo na época em que eu mais estava viciado em beisebol (depois de destrinchar o “World Series Baseball”, do Mega Drive).

2. U.S. Navy Fighters: Gold

Lembro bem que os amantes de simuladores de voo não paravam de falar do Falcon 3.0, de 1991, quando o U.S. Navy Fighters foi lançado pela Electronic Arts, em 1994. Ele era bem diferente: tinha característica de jogo “arcade”. Trazia gráficos muito caprichados e cut-scenes em estilo filme, uma marca registrada dos jogos dessa época. A campanha era bem comprida e nunca consegui zerar. O jogo vai ficando difícil pra caramba do meio para o final. Você tem opção de voar vários caças americanos em combates “ar-ar” e “ar-terra”. Nessa época eu usava um joystick do tipo manche, com alavanca de controle de potência do motor. Me sentia um verdadeiro Top Gun desvairado. (hehe).

1. Simcity 2000

Sempre fui fã dos jogos estilo “Sim” e este aqui eu joguei à exaustão. Detalhe: todo mundo que também curtia esse game gostava de chamar um “desastre” para destruir a cidade, seja com ataque alienígena, enchente ou furacão. Eu sempre odiei isso. Eu levava bem à sério a brincadeira e as cidades que eu fazia recebiam placas nas praças, igrejas, monumentos… ver aquilo tudo destruído me doía o coração. Lembro que demorou para eu entender como funcionava a parte de “economia” do jogo, com aquelas tabelas doidas e os ajustes de impostos. Foi uma grande felicidade quando dominei essa parte, e foi na raça mesmo. Não lembro de ter lido dica ou coisas do tipo em lugar nenhum. Hoje temos jogos bem mais avançados e eles beberam da fonte do Simcity 2000. O game foi desenvolvido pela MAXIS e publicado pela MAXIS e Electronic Arts, em 1993.

Menções honrosas

Wolfenstein 3D (1992)

Jogo de tiro em primeira pessoa que fez sucesso absoluto, considerado o pai dos FPS – First Person Shooter. Os meus amigos eram loucos por jogos desse estilo (em especial o Gióia!). E eu sempre acompanhei essa onda, mesmo este não ser meu gênero preferido. O tema era bem “pesado” (matar nazistas!), o que deixou a molecada louca pra jogar. Lembrando que a inspiração veio do game “Castle Wolfenstein”, de 1981.

Doom (1993)

Dentre os jogos de tiro em primeira pessoa (FPS), Doom (1993) foi um dos que mais joguei na época. O impacto dele foi impressionante e a gente acabava absorvendo aquilo. A id Software começava ali uma história de sucesso… A gente enfrenta um monte de monstros com diversos tipos de armas, tendo que encontrar a saída de cada fase.

SimAnt (1991)

Outro jogos do estilo “Sim” feito pela MAXIS, a mesma do SimCity 2000. Aqui você comanda um formigueiro e tem que “expulsar” as formigas vermelhas. Também tem que invadir os jardins e as casas dos humanos. O esquema é DOMINAR! hehe

Full Throttle (1995)

O meu irmão foi quem mais jogou (e zerou) este game e eu companhei de perto as aventuras dele. Depois, joguei também. Esse estilo “point and click” fez um sucesso estrondoso e a Lucas Arts foi reverenciada pela façanha nos ótimos games que lançou nesse gênero. Full Throttle foi um dos mais aclamados, com certeza, ao lado de Monkey Island, Days of Tentacle e The Dig, entre outros. Nesse tipo de jogo você comanda as ações apontando a seta do mouse e clicando nos objetos do cenário. O tema de Full Throttle era muito legal: o jogador comandava um motoqueiro (Ben) em um futuro apocalíptico. Eu dei muitas risadas com as “tiradas” desse game e passei muitas horas tentando resolver os puzzles.

E aí, você também jogou jogos de MS-DOS? Quais são seus prediletos? Escreva aí embaixo, no comentários do Mural Gamer.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui